Leitura da Semana

Acesse mais leituras e mensagens de D. John Main e D. Laurence Freeman:

Reflexões da Quaresma

Durante toda a Quaresma, Dom Laurence envia suas reflexões diárias para a Comunidade.
Quaresma 2017 >
Quaresma 2016 >
Quaresma 2015 >
Quaresma 2014 >
Quaresma 2013 >

Séries de Palestras

Encontre um Grupo de Meditacao Crista

Calendário de Eventos

perfil john

Compromisso com a Simplicidade

extraído do livro O MOMENTO DE CRISTO (São Paulo, PAULUS, 1992), pgs. 47-51.

Você já deve ter ouvido dizer que “a meditação é o caminho para a realidade”. Primeiramente, ela é o caminho para a realidade de nosso próprio ser. Por meio da meditação aprendemos a ser. Não apenas representar algum papel específico ou, uma coisa específica, mas, apenas ser. A melhor maneira de descrever esse ser, é dizer que estamos em um estado de absoluta simplicidade. Não procuramos representar. Não procuramos pedir descuplas por sermos quem somos ou, como somos. Estamos, simplesmente, vivenciando as profundezas de nosso próprio ser, seguros e afirmados em nosso enraizamento na realidade. A maioria de nós não está familiarizada com este ideal, pelo fato de termos sido treinados a pensar que apenas encontramos a verdade, em meio à complexidade. Todavia, em um nível mais profundo, todos sabemos. . .que a verdade só pode ser encontrada na absoluta simplicidade, na receptividade. A recordação da clareza de nossa visão na infância deveria nos ensinar isso. Aquilo de que todos necessitamos, é o senso de encantamento da criança, a simples infantilidade, para nos curvarmos perante a magnificência da criação. [...]
A meditação é uma maneira de rompermos a barreira do mundo de ilusões, para a pura luz da realidade. A experiência da meditação é a de nos ancorarmos na verdade, no caminho e, na vida. Dentro da visão cristã, Jesus é essa âncora. Ele nos revela que Deus é o fundamento de nosso ser, que nenhum de nós tem qualquer existência independente dele. . . .A maioria de nós está dominada pela grande ilusão de que somos o centro do mundo e, que tudo e todos gravitam a nosso redor. . .
Porém, na meditação, aprendemos que isso não é verdade. A verdade é que Deus é o centro e, o ser de todos nós, tem origem em sua dádiva, em seu poder e em seu amor. [ . . . ] A meditação é o grande caminho de libertação. Somos libertos do passado. . . e, nos tornamos receptivos à nossa vida no momento presente. . . Aprendemos que somos, porque Deus é, [e esse] simples ser é a nossa maior dádiva.

 

original em inglês:

An excerpt from John Main OSB, “Commitment to Simplicity,” MOMENT OF CHRIST (New York: Continuum, 1998), pp. 26-27.

You have heard it said that meditation is “the way to reality.” It is firstly the way to the reality of our own being. By meditation, we learn to be. Not to be any particular role or particular thing, but just to be. The best way of describing that being is to say that we are in a state of utter simplicity. We are not trying to act. We are not trying to apologize for being who we are or as we are. We are, simply, living out of the depths of our own being, secure and affirmed in our own rootedness in reality.

This is an ideal unfamiliar to most of us because we are trained to think that we find truth only amid complexity. Yet we all know at a deeper level. . .that truth can only be found in utter simplicity, in openness. Remembering the sharpness of our vision in childhood should teach us this. What we all require is the child’s sense of wonder, the simple childlikeness to worship before the magnificence of creation. [. . . .]

The great illusion that most of us are caught in is that we are the center of the world and that everything and everyone revolves around us. . . .But in meditation we learn that this is not true. The truth is that God is the center. . . [. . . .]

Meditation is the great way of liberation. We are liberated from the past. . . and become open to our life in the present moment. . .We learn that we are because God is, [and that] simply being is our greatest gift.

Medite por Trinta Minutos

Lembre-se: Sente-se. Sente-se imóvel e, com a coluna ereta. Feche levemente os olhos. Sente-se relaxada(o), mas, atenta(o). Em silêncio, interiormente, comece a repetir uma única palavra. Recomendamos a palavra-oração "Maranatha". Recite-a em quatro silabas de igual duração. Ouça-a à medida que a pronuncia, suavemente mas continuamente. Não pense, nem imagine nada, nem de ordem espiritual, nem de qualquer outra ordem. Pensamentos e imagens provavelmente afluirão, mas, deixe-os passar. Simplesmente, continue a voltar sua atenção, com humildade e simplicidade, à fiel repetição de sua palavra, do início ao fim de sua meditação.