Leitura da Semana

Acesse mais leituras e mensagens de D. John Main e D. Laurence Freeman:

Reflexões da Quaresma

Durante toda a Quaresma, Dom Laurence envia suas reflexões diárias para a Comunidade.
Quaresma 2017 >
Quaresma 2016 >
Quaresma 2015 >
Quaresma 2014 >
Quaresma 2013 >

Séries de Palestras

Encontre um Grupo de Meditacao Crista

Calendário de Eventos

perfil john

Abandonar-se

John Main OSB, extraído de ESSENTIAL WRITINGS, Modern Spiritual Masters Series (Maryknoll, NY: Orbis, 2002), pg. 127. 

Uma das coisas de mais difícil entendimento para os ocidentais é a de que na meditação não se deve procurar fazer com que algo aconteça.  Todavia, todos estamos tão acostumados com a mentalidade da técnica e da produção que, inevitavelmente, pensamos primeiro que estamos tentando arquitetar um evento, um acontecimento. . .  A primeira coisa que precisamos entender, no entanto, é que a meditação nada tem a ver com fazermos com que alguma coisa aconteça.  O objetivo básico da meditação, muito ao contrário, é o de simplesmente aprender a passar a ser completamente conscientes daquilo que é. . . e, aprender diretamente da realidade que nos sustenta. . . 

É tão freqüente que vivamos nossa vida em cinco por cento de nosso pleno potencial.  Mas, é claro, não há medida para nosso potencial. A tradição cristã nos diz que ele é infinito.  Se, apenas nos voltássemos do eu para o outro, nossa expansão de espírito se tornaria ilimitada.  Isso muda tudo, isso é aquilo que o Novo Testamento chama de conversão.  Somos convidados a abrir as algemas, a nos libertarmos da prisão do ego que limita nosso ser.

 

 

original em inglês:

An excerpt from John Main OSB, “Letting Go,” JOHN MAIN: ESSENTIAL WRITINGS, Modern Spiritual Masters Series (Maryknoll, NY: Orbis, 2002), p. 127.

One of the most difficult things for Westerners to understand is that meditation is not about trying to make anything happen. But all of us are so tied into the mentality of techniques and production that we inevitably first think that we are trying to engineer an event, a happening. . . The first thing to understand, however, is that meditation has nothing to do with making anything happen. The basic aim of meditation is indeed quite the contrary, simply to learn to become fully aware of what is,  . . to learn directly from the reality that sustains us. [. . . .] So often we live our life at five percent of our full potential. But of course there is no measure to our potential. The Christian tradition tells us it is infinite. If only we will turn from self to other, our expansion of spirit becomes boundless. It is all-turning; what the New Testament calls conversion. We are invited to unlock the shackles, to be freed from being prisoners within our self-limiting egos. 

One of the most difficult things for Westerners to understand is that meditation is not about trying to make anything happen. But all of us are so tied into the mentality of techniques and production that we inevitably first think that we are trying to engineer an event, a happening. . . The first thing to understand, however, is that meditation has nothing to do with making anything happen. The basic aim of meditation is indeed quite the contrary, simply to learn to become fully aware of what is,  . . to learn directly from the reality that sustains us. [. . . .] So often we live our life at five percent of our full potential. But of course there is no measure to our potential. The Christian tradition tells us it is infinite. If only we will turn from self to other, our expansion of spirit becomes boundless. It is all-turning; what the New Testament calls conversion. We are invited to unlock the shackles, to be freed from being prisoners within our self-limiting egos. TINGS, Modern Spiritual Masters Series (Maryknoll, NY: Orbis, 2002), pg. 127.

Medite por Trinta Minutos

Lembre-se: Sente-se. Sente-se imóvel e, com a coluna ereta. Feche levemente os olhos. Sente-se relaxada(o), mas, atenta(o). Em silêncio, interiormente, comece a repetir uma única palavra. Recomendamos a palavra-oração "Maranatha". Recite-a em quatro silabas de igual duração. Ouça-a à medida que a pronuncia, suavemente mas continuamente. Não pense, nem imagine nada, nem de ordem espiritual, nem de qualquer outra ordem. Pensamentos e imagens provavelmente afluirão, mas, deixe-os passar. Simplesmente, continue a voltar sua atenção, com humildade e simplicidade, à fiel repetição de sua palavra, do início ao fim de sua meditação.