Unidade

Leitura de Sábado, 30 Novembro 2019
Laurence Freeman, OSB

Extraído do livro Primeira Vista- A Experiência da Fé (Petrópolis - RJ: Ed. VOZES, 2012).

A civilização se apóia na fé, não na tecnologia. A fé leva a acreditar na bondade e na igualdade humana, a acreditar em nosso próximo, leva a uma percepção da bondade comum, em lugar de só levar vantagem egoísta, a uma paixão pela justiça e, a uma coragem para estendermos a compaixão aos que estão vulneráveis. Ela capacita para o perdão, e a paciência, em tempos de traições e conflitos.
A civilização, também se apóia na contínua fé no futuro, acreditando que há uma razão para tudo, que não alcançamos a perfeição, mas, que não desistiremos. . . . A sociedade civilizada se apóia na crença, nascida da fé, de que temos algo que vale a pena, para deixarmos para a próxima geração, para que ela o aperfeiçoe melhor do que nós fomos capazes de fazer.
A meditação começa e termina na fé. Ela expressa a unidade de todos no espírito, assim como, o fazem, de fato, todos os atos sagrados que se inspiram no amor e na compaixão.

 

 


Texto original em inglês

An excerpt from Laurence Freeman, FIRST SIGHT: The Experience of Faith (London: Continuum, 2011).

Civilization rests on faith not technology. Faith leads to the belief in human goodness and equality, to trust in our neighbor, a sense of the common good rather than just selfish advantage, a passion for justice and a courage for compassion extended to the vulnerable. It empowers forgiveness and patience in times of betrayal and conflict.

Civilization also rests upon sustained faith in the future, believing that there is a point to it all, that we have not achieved perfection but we’re not going to give up. . . .Civilized society rests on the belief born of faith that we have something worthwhile to leave for the next generation to do better than we were able to do.
Meditation begins and ends in faith. It expresses the unity of all in the spirit, as do indeed all sacred acts inspired by love and compassion.