WCCM

“Saúde do Espírito" - Leitura de 04/03/2012
John Main OSB, extraído da palestra Fully Alive, da série MEDITATIO de Out/Dez 2011 (Londres, WCCM, 2011) pgs 9-10.

Um grande problema que todos precisamos enfrentar, é o de decidir o que é que é realmente importante em nossas vidas, e o que é trivial, aprender a diferenciar aquilo que é passageiro, daquilo que é duradouro.  O autor medieval inglês, John of Salisbury assim escreveu:
Para aquele que, de todo coração, busca a verdade, não é possível cultivar aquilo que é meramente vazio.


Esse é o desafio que se apresenta a cada um de nós: não cultivar aquilo que é vazio, porque, de todo coração, buscamos a verdade, o amor.
A importância da meditação para cada um de nós é maior, porque vivemos em uma sociedade seriamente ameaçada de perder sua sanidade.  Um espírito humano que esteja saudável necessita se expandir.  Todos nós necessitamos espaço para respirar, para a expansão, para preencher nossas vidas com a verdade, com o amor.  E, caso estejamos saudáveis, saberemos que precisamos atravessar todas as fronteiras para aquilo que está além.


O espírito saudável, é o espírito de um explorador: não nos aterrorizamos com o que está além, nem estamos cansados demais para buscar o que está à frente.  O espírito verdadeiramente saudável sabe que não teremos futuro a menos que encetemos a jornada com toda sinceridade.
A meditação é, simplesmente, uma maneira de alcançar essa saúde fundamental do espírito, um estado em que nosso espírito encontra espaço para respirar, em que ele não seja assaltado, nem enredado, pelo que é trivial, ou aquilo que seja meramente material; um estado em que, por estarmos abertos à verdade suprema, e ao amor supremo, somos convocados para além de toda mera trivialidade. Somos convocados a viver a vida, não nas águas rasas, mas na fonte.


A suprema fronteira à qual somos chamados a atravessar, é a fronteira de nossa própria identidade, ou em outras palavras, de nossa própria limitação.  Ser uno com tudo, ser uno com o Todo.  A prática, nas profundezas de nosso próprio ser, daquilo a que Jesus nos convoca: aquele que deseja encontrar sua vida precisa perdê-la.


A disciplina do mantra, e a disciplina do retorno diário à prece, é simplesmente o compromisso de voltar as costas para tudo o que é passageiro, e de viver nossa vida a partir da fonte de todo ser.  É por isso que precisamos deixar todas as imagens para trás, todos os pensamentos, todas as ideias e imaginações; e, precisamos silenciar, silêncio tão profundo quanto nos seja possível, na presença do autor da vida, do autor do amor.

Medite por Trinta Minutos
Lembre-se: Sente-se. Sente-se imóvel e, com a coluna ereta. Feche levemente os olhos. Sente-se relaxada(o), mas, atenta(o). Em silêncio, interiormente, comece a repetir uma única palavra. Recomendamos a palavra-oração "Maranatha". Recite-a em quatro silabas de igual duração. Ouça-a à medida que a pronuncia, suavemente mas continuamente. Não pense, nem imagine nada, nem de ordem espiritual, nem de qualquer outra ordem. Pensamentos e imagens provavelmente afluirão, mas, deixe-os passar. Simplesmente, continue a voltar sua atenção, com humildade e simplicidade, à fiel repetição de sua palavra, do início ao fim de sua meditação.


 
 
Comunidade Mundial de Meditação Cristã