Laurence Freeman, OSB - WCCM
"Além de todas as imagens" - Leitura de 07/06/2010
O Caminho do Não Conhecimento (São Paulo: Ed. Vozes, 2009), pgs. 74-75.
Tradução de Roldano Giuntoli
 

A meditação é um caminho que leva a uma incomensurável realidade que está além de todas as imagens. O problema que enfrentamos nessa jornada, é o de termos que contornar nosso próprio ego, que é o supremo fabricante de imagens, na maior parte das vezes imagens de nós mesmos e, em menor escala, imagens das outras pessoas, e até mesmo imagens de Deus.

Quando você começa a meditar, o ego reage imediatamente. Ele reagrupa as suas forças, que estão sendo ameaçadas, e lhe apresenta a seguinte pergunta: “Você está desperdiçando seu tempo com isto? Que progresso você está conseguindo? Onde é que você está chegando? Caso sua natureza seja particularmente teimosa, e você continue a meditar, apesar desse tipo de sarcasmo, seu ego irá provavelmente tentar uma outra conduta. Ele lhe dirá: “você está se saindo excelentemente, você se tornará um santo, você é um místico nato”. . . E, assim, o ego começa a fabricar para você a imagem do homem ou da mulher verdadeiramente espiritual. Em pouco tempo esta imagem estará quebrada, e você estará de volta à estaca zero. Existem incontáveis maneiras pelas quais o ego procurará desencorajar você, fazer com que você pare de meditar, pois desde o começo, o ego sabe que, caso você medite, caso você consiga alcançar a realidade além de todas as imagens, então, o ego será . . . destronado. Ele perderá o poder.

Ora, por que deveríamos meditar? Creio que todos nós respondemos essa pergunta, mais cedo ou mais tarde, da seguinte maneira: em diversas ocasiões de nossas vidas, todos nós quisemos nos comprometer com a verdade, nos comprometer com Deus. A meditação atende a essa necessidade. . . Sabemos, creio eu, que todos nós fizemos a tentativa, todos nós quisemos rezar, e todos nós falhamos. Todavia, em alguma ocasião chegamos à conclusão de que a sabedoria que recebemos da tradição contemplativa da prece, é a sabedoria que transforma o fracasso em vitória. O silêncio e pobreza que experimentamos em nossa meditação, ganham autenticidade por si mesmos. Sabemos não poder analisar a Deus. Sabemos não poder entender, com nossas mentes finitas, a infinitude de Deus. Todavia, também sabemos, ou logo começaremos a suspeitar, que podemos experienciar o amor que Deus tem por nós. . . Esse conhecimento experiencial é o que nos ensina, também, que as imagens que o ego fabricou, quer sejam de desepero, ou de santidade, todas elas precisam ceder espaço. Nenhuma delas pode ser levada a sério. . .

O sucesso e o fracasso cedem lugar àquilo que passamos a saber ser verdadeiro, através de nossa própria experiência da meditação: morte e ressurreição. Toda vez que nos sentamos para meditar, morremos para o eu, elevando-nos para além de nossas limitações, a uma nova vida em Cristo. Sabemos que é sua vida em nós, seu Espírito que habita nossos corações, que é real, e é a energia essencial de nosso crescimento. Sabemos, também, que só poderemos alcançar nosso pleno potencial, caso estejamos enraizados nessa realidade, enraizados nesse amor, e vivendo de sua energia. Precisamos aprender a repetir nosso mantra. Precisamos aprender como repetí-lo do início ao fim de nossa meditação. Precisamos compreender que a disciplina diária é a responsável por finalmente desmascarar o ego. Desmascarado, ele desaparece. Não podemos nos impacientar, ou desanimar. Precisamos repetir nosso mantra, com fé, dia após dia. O sucesso ou o fracasso não terão, então, qualquer significação. A única coisa significativa, é a realidade de Deus, a realidade de sua presença em nosso coração. . . .

Medite por Trinta Minutos
Lembre-se: Sente-se. Sente-se imóvel e, com a coluna ereta. Feche levemente os olhos. Sente-se relaxado, mas, atento. Em silêncio, interiormente, comece a repetir uma única palavra. Recomendamos a palavra-oração "Maranatha". Recite-a em quatro silabas de igual duração. Ouça-a à medida que a pronuncia, suavemente mas continuamente. Não pense nem imagine nada, nem de ordem espiritual, nem de qualquer outra ordem. Pensamentos e imagens provavelmente afluirão, mas, deixe-os passar. Simplesmente, continue a voltar sua atenção, com humildade e simplicidade, à fiel repetição de sua palavra, do início ao fim de sua meditação.

 
 
Comunidade Mundial de Meditação Cristã