Dom John Main, OSB - WCCM
"Silêncio e Imobilidade em Todas as Estações do Ano" - Leitura de 09/08/2009
O MOMENTO DE CRISTO (São Paulo, Paulus, 1992).
Tradução de Roldano Giuntoli
 

A meditação nos faz exigências. Trata-se de uma disciplina. Não basta apenas ler livros ou assistir cursos sobre o assunto. Você precisa praticá-la. Na prática, você encontra seu lugar. Todavia, para encontrar seu lugar, você precisa se reduzir a si mesmo, constantemente, até que você se torne apenas um ponto. Todos sabemos não haver nada pior do que a presunção. Não há nada pior do que o egoísmo. O propósito da meditação é o de adentrarmos nosso ponto central, que é a experiência da transcendência de si mesmo, um ir adiante. Deixamos o eu completamente para trás, e reduzimos nosso ego cada vez mais, até que tenhamos nosso lugar, mas não tenhamos dimensão.

A chegada a esse ponto no centro de nosso ser, se assemelha à abertura da lente da câmera fotográfica.  Quando nos reduzimos a esse unidirecionamento, e quando ficamos imóveis, a luz brilha em nós, em nossos corações. Essa é a luz de Deus, a luz que ilumina e esclarece todo o nosso ser. Uma vez atingido esse unidirecionamento e imobilidade, a luz brilha em nosso coração por todo o sempre. Não me entenda mal.  Para trilhar esse caminho, você não precisa ter nenhuma característica especial, ou talentos especiais, exceto o talento comum de saber que precisamos ir além da presunção e do egocentrismo. Nem é necessária muita engenhosidade para se dar conta disso. Precisamos lançar nossas raízes, não no amor a si mesmo, mas no amor universal.
Nos tornamos pessoas, não para nós mesmos, mas para os outros, para todos, para Ele que é todos.

Medite por Trinta Minutos
Sente-se confortavelmente, mas com a coluna ereta. Feche levemente os olhos. Sente-se relaxado mas atento. Em silêncio, interiormente, comece a repetir uma única palavra. Recomendamos a palavra-oração "Maranatha". Recite-a como quatro silabas de igual duração Ma-ra-na-tha, em ritmo lento. Ouça-a à medida que a pronuncia, suavemente mas continuamente. Não pense nem imagine nada - nem de ordem espiritual nem de qualquer outra ordem. Se pensamentos e imagens afluírem à mente, trate-os como distrações e simplesmente retorne à repetição da palavra.

 
 
Comunidade Mundial de Meditação Cristã