John Main OSB - WCCM
"Foco no que é Real" - Leitura de 11/04/2011
De John Main OSB, THE HEART OF CREATION (Norwich: Canterbury, 2007), pg. 83-84.
Tradução de Roldano Giuntoli
 

Uma das coisas que precisamos compreender claramente é que essa meditação, esta busca por sabedoria e amor, deve se dar de maneira inteiramente comum e natural. A meditação precisa se estabelecer na tessitura comum do dia a dia. Precisamos aprender a ver toda a vida trespassada pelo divino, em harmonia com o divino. Precisamos compreender que nosso destino é o de adentrarmos nessa harmonia divina, o de estarmos em harmonia com Deus. Não se trata de procurarmos incluir um pouco de espiritualidade em nossas vidas. A busca espiritual, o permanente convite espiritual, leva nossas vidas, nós mesmos, à permanente focalização da verdade suprema, da bondade suprema. Não de alguma maneira abusiva ou de autoimportância, mas de uma maneira muito simples e infantil.

Fazemos isso aquietando-nos, prestando atenção, tornando-nos conscientes do uno que nos ama. De modo a nos prepararmos para as grandes tarefas da vida, precisamos aprender a ser fiéis às tarefas humildes. A meditação é uma pregrinação, muito simples e muito humilde, que nos prepara para essa focalização de nossas vidas no centro divino. Nossas vidas são nutridas pela seiva espiritual, a energia que se eleva das raízes de todos os seres. O convite que cada um de nós recebeu é para descobrirmos quem somos nós... para irmos além das limitações de nossas identidades separadas, e para nos unirmos com o uno que é tudo em todas as coisas. Nesse percurso para além de nós mesmos, nos encontramos. E, encontramos nossa ilimitada capacidade para o desenvolvimento, para a liberdade, para o amor.

Tomemos cuidado com os superlativos! Tomemos cuidado com nosso próprio entusiasmo, pois ao utilizarmos superlativos demais, podemos esquecer a humildade da tarefa, o aspecto comum do caminho. O aspecto comum é o de simplesmente nos acalmarmos e nos recolhermos, todas as manhãs e todas as tardes de nossas vidas. Nos tornamos atentos, voltamo-nos na direção do centro divino, e nos focamos. Fazemos isso por meio do simples expediente de repetir nossa palavra. Eliminamos todas as imagens que poderiam constituir uma barreira entre nós e a realidade, por meio da descoberta de todos os símbolos. Permitimos que a pura e brilhante luz da realidade, a clara luz do Espírito de Deus, como a chama São Paulo, entre em nossos corações, para nos tornarmos a realidade suprema. Essa tarefa não é difícil demais para nós. Não precisaremos viajar para o além mar para encontrá-la. Não devemos pedir para que outros o façam por nós. Esta realidade nos está muito próxima. Está em nossos corações, se apenas nos dermos ao trabalho de buscar antes o Reino de Deus, o Reino que está em nossos corações.

Medite por Trinta Minutos
Lembre-se: Sente-se. Sente-se imóvel e, com a coluna ereta. Feche levemente os olhos. Sente-se relaxado, mas, atento. Em silêncio, interiormente, comece a repetir uma única palavra. Recomendamos a palavra-oração "Maranatha". Recite-a em quatro silabas de igual duração. Ouça-a à medida que a pronuncia, suavemente mas continuamente. Não pense nem imagine nada, nem de ordem espiritual, nem de qualquer outra ordem. Pensamentos e imagens provavelmente afluirão, mas, deixe-os passar. Simplesmente, continue a voltar sua atenção, com humildade e simplicidade, à fiel repetição de sua palavra, do início ao fim de sua meditação.

 
 
Comunidade Mundial de Meditação Cristã