Dom John Main, OSB - WCCM
"Caríssimos Amigos: Uma Carta de Laurence Freeman, OSB"
Leitura de 14/06/2009
Christian Meditation Newsletter, Vol. 33, No. 1, Abril 2009.
Tradução de Roldano Giuntoli
 

“A distinção existente entre a posição pública e a pessoa”, afirmou Dietrich Bonhoeffer, “é completamente estranha aos ensinamentos de Jesus.” A verdade, afinal, é pessoal, e só pode entrar no mundo, depois de ter conquistado o coração humano.

E, aquilo que é pessoal está sujeito à tentação e ao teste, da vida diária. Talvez, seja essa uma das razões de sermos tão invasivamente curiosos acerca da vida privada das celebridades. Acreditamos que as conheceremos melhor, ou delas nos aproximaremos, se conhecermos suas rotinas e gostos, públicos ou secretos. Todavia, sabemos muito pouco acerca desses aspectos das vidas dos líderes espirituais que ajudaram a humanidade a se desenvolver, e que verdadeiramente alteraram a mente humana. O critério para a fé que depositamos neles, e na sua transmissão da verdade que eles personificaram, é a sua autenticidade pessoal, e não seus diários pessoais. Essa autoridade, rara e poderosa, do verdadeiro mestre, nos capacita a acreditar neles, e a procurar colocar em prática aquilo que eles pregaram.

Autoridade pessoal, todavia, não é o mesmo que força institucional. A insistência da ortodoxia que encontramos em toda parte, no sentido de que “você precisa acreditar nisso, caso queira ser um de nós”, no entender de muitas pessoas modernas, ameaça a autoridade dogmática do Cristianismo.   Como uma criança, ou como um adulto sem auto-realização, podemos aceitar isso, porque nos confere a segurança de pertencermos a um grupo com firmes convicções, e alivia o medo da rejeição, ou de estarmos sós. Porém, quanto mais de perto a examinarmos, essa idéia de que podemos impor a confiança, se mostra absurda.

A confiança em qualquer verdade revelada, cresce por meio de um processo que inclui tanto a experiência pessoal, quanto a verdade da autencidade do mestre. Não se trata de que os dogmas do Cristianismo sejam pouco importantes, mas, de que eles são tão importantes, que não podem ser reduzidos a fórmulas instantâneas, colocadas em formato linguístico imutável. Eles não são entradas para festas, ou vistos de entrada, carimbados para o Reino.

Os dogmas precisam crescer no solo da vida diária, tal como a própria semente do Reino. A verdade cresce em nós, à medida que crescemos em relação à verdade. Qualquer instituição, política, educacional ou religiosa, que negue isso, acaba perdendo o crédito junto a seus membros. A boa fé tanto significa crédito, quanto confiança.

Medite por Trinta Minutos
Sente-se confortavelmente, mas com a coluna ereta. Feche levemente os olhos. Sente-se relaxado mas atento. Em silêncio, interiormente, comece a repetir uma única palavra. Recomendamos a palavra-oração "Maranatha". Recite-a como quatro silabas de igual duração Ma-ra-na-tha, em ritmo lento. Ouça-a à medida que a pronuncia, suavemente mas continuamente. Não pense nem imagine nada - nem de ordem espiritual nem de qualquer outra ordem. Se pensamentos e imagens afluírem à mente, trate-os como distrações e simplesmente retorne à repetição da palavra.

 
 
Comunidade Mundial de Meditação Cristã