WCCM

"Iluminação" - Leitura de 15/04/2012
Laurence Freeman, FIRST SIGHT: The Experience of Faith (London: Continuum, 2011) pg.61-62).

A meditação reunifica o puro facho de luz que, em nossa percepção, o prisma do ego fragmentou.  Ela conduz a uma nova maneira de ver, uma maneira de perceber que funde a prática diária da meditação com a vida e o trabalho do cotidiano, como um caminho integrado de fé.  Sempre que, como uma criança, vemos algo pela primeira vez, ficamos encantados.  O mundo está repleto de encantos que ainda não foram descobertas, e não conseguimos entender porque nossos pais não ficam impressionados com elas.  Certa vez eu estava esperando minhas malas junto à esteira de um terminal de aeroporto.  Parecia-me uma espera interminável, e eu só queria sair para o ar fresco, depois de horas de respiração em ambientes artificiais.  Então, reparei num pequeno menino que olhava para a esteira com atenção totalmente polarizada.  A excitação dele subiu às alturas quando finalmente a luz indicativa piscou e o alarme soou, anunciando a chegada das malas.  Quando suas próprias malas chegaram, ele avisou o pai aos gritos, mal se aguentando de alegria e encanto.  Eu estava apenas satisfeito por minhas malas não terem se extraviado novamente.  Quem quer que amasse aquilo, não amava à primeira vista?  Quem jamais terá visto o mundo pela primeira vez , sem ter caído de amores por ele?  Porém, gradualmente, nos esquecemos dessa emoção da primeira vista, à medida que a vida se torna rotineira, e o estresse impede a entrada da alegria e do encanto.  Todavia, podemos recuperar a experiência da primeira vista em um outro nível de percepção.  De fato, caso não a recuperemos, deixamos de nos desenvolver.  A fé é a capacidade de novamente ver pela primeira vez.

Medite por Trinta Minutos
Lembre-se: Sente-se. Sente-se imóvel e, com a coluna ereta. Feche levemente os olhos. Sente-se relaxada(o), mas, atenta(o). Em silêncio, interiormente, comece a repetir uma única palavra. Recomendamos a palavra-oração "Maranatha". Recite-a em quatro silabas de igual duração. Ouça-a à medida que a pronuncia, suavemente mas continuamente. Não pense, nem imagine nada, nem de ordem espiritual, nem de qualquer outra ordem. Pensamentos e imagens provavelmente afluirão, mas, deixe-os passar. Simplesmente, continue a voltar sua atenção, com humildade e simplicidade, à fiel repetição de sua palavra, do início ao fim de sua meditação.


 
 
Comunidade Mundial de Meditação Cristã