Dom John Main, OSB - WCCM
"A Repetição do Mantra " - Leitura de 15/11/2009
ESSENTIAL WRITINGS, ed. Laurence Freeman (Marynoll, NY: Orbis, 2002), p. 109.
Tradução de Roldano Giuntoli
 

O propósito da repetição do mantra é o de torná-lo o foco da nossa atenção. Não pensamos em nada e tampouco buscamos qualquer discernimento que nos possa chegar ao repetirmos o mantra. Deixe que tudo se dissolva à medida que você entra em um cada vez mais profundo silêncio, no qual o único som em sua mente é o mantra. O próprio mantra ensinará a paciência necessária para repetí-lo. Também ensinará a humildade necessária. Na meditação não buscamos possuir Deus, ou chegar a um profundo discernimento acerca de Deus. Buscamos apenas aceitar o dom de nossa própria criação, tão plenamente quanto nos seja possível no presente, e responder a ele, tão generosamente quanto nos seja possível. Para fazermos isso, aprendemos a ficar imóveis, a estar em silêncio, e a ser verdadeiramente humildes. Para usarmos a linguagem cotidiana, a essência da meditação está em deixarmos para trás o ego. Não estamos tentando enxergar, com o ego, o que está acontecendo. O ego está limitado por seu próprio auto-centrismo. Os olhos com que enxergamos sem limitações, são os olhos que não podem se enxergar a si mesmos. O paradoxo da meditação é o de que quando desistimos de enxergar e de possuir, então, enxergamos tudo e todas as coisas são nossas.

Medite por Trinta Minutos
Sente-se confortavelmente, mas com a coluna ereta. Feche levemente os olhos. Sente-se relaxado mas atento. Em silêncio, interiormente, comece a repetir uma única palavra. Recomendamos a palavra-oração "Maranatha". Recite-a como quatro silabas de igual duração Ma-ra-na-tha, em ritmo lento. Ouça-a à medida que a pronuncia, suavemente mas continuamente. Não pense nem imagine nada - nem de ordem espiritual nem de qualquer outra ordem. Se pensamentos e imagens afluírem à mente, trate-os como distrações e simplesmente retorne à repetição da palavra.

 
 
Comunidade Mundial de Meditação Cristã