Laurence Freeman, OSB - WCCM
“Integridade" - Leitura de 16/05/2010
John Main OSB, WORD MADE FLESH (London: DLT, 1993), pgs. 55-56.
Tradução de Roldano Giuntoli
 

Muitas vezes, temos a impressão de que nos apressamos muito em passar pela vida, ao passo que há em nosso coração a chama essencial do ser. Nossa pressa, muitas vezes, a leva ao ponto da extinção. Porém, quando nos sentamos para meditar, na simplicidade e na imobilidade, a chama começa a queimar de maneira firme e brilhante. Ao abandonarmos o processo de pensar em termos de sucesso e auto-importância, a luz da chama nos ajuda a nos entendermos e, aos outros, em termos de luz, de calor e de amor.

O mantra nos conduz ao ponto da imobilidade, no qual a chama do ser pode queimar com brilho. Nos ensina, aquilo que sabemos, mas, freqüentemente, esquecemos, de que não podemos viver uma vida plena, a menos que ela esteja estabelecida em algum propósito subjacente. A vida possui um significado e um valor supremos, que só são descobertos na firme imobilidade do ser, que é nossa ligação essencial com Deus. É terrivelmente fácil, permitirmos que a vida se torne uma mera rotina. Os papéis que representamos, podem facilmente tomar o lugar do ser. Caímos facilmente na representação dos papéis de estudantes, de mães, de maridos, de gerentes, de monges e, assim por diante... Jesus veio ao mundo para nos dizer que a vida nada tem a ver com a representação de papéis ou, com o fato de sermos um funcionário dentro de algum sistema. A vida tem a ver com o significado e o propósito que sentimos na profundidade do nosso mais imóvel ser. Nosso valor surge a partir de quem nós somos em nós mesmos e, não a partir do que fazemos como um personagem de nós mesmos.

O significado supremo de Deus não surge daquilo que a sociedade nos diz que somos, isso significaria “preferirmos a aprovação humana, à aprovação de Deus”, tal como nos disse Jesus. [...] Cada um de nós... deve descobrir a verdade fundamental acerca de si mesmo. Ligados a Deus, devemos estar abertos ao amor que nos redime da ilusão e da superficialidade. Devemos viver a partir dessa sacralidade infinita e pessoal, que temos como um templo do Espírito Santo. Descobrindo que o mesmo Espírito que criou o universo habita nossos corações e, em silêncio é amor para todos, é o propósito de toda vida.

Medite por Trinta Minutos
Lembre-se: Sente-se. Sente-se imóvel e, com a coluna ereta. Feche levemente os olhos. Sente-se relaxado, mas, atento. Em silêncio, interiormente, comece a repetir uma única palavra. Recomendamos a palavra-oração "Maranatha". Recite-a em quatro silabas de igual duração. Ouça-a à medida que a pronuncia, suavemente mas continuamente. Não pense nem imagine nada, nem de ordem espiritual, nem de qualquer outra ordem. Pensamentos e imagens provavelmente afluirão, mas, deixe-os passar. Simplesmente, continue a voltar sua atenção, com humildade e simplicidade, à fiel repetição de sua palavra, do início ao fim de sua meditação.

 
 
Comunidade Mundial de Meditação Cristã