John Main OSB - WCCM
"Silêncio e Imobilidade em Todas as Estações do Ano" - Leitura de 27/09/2010
MONASTERY WITHOUT WALLS (São Paulus, Paulus, 1992)
Tradução de Roldano Giuntoli
 

A palavra “meditação” vem do latim meditare que desmembramos nas raízes  stare in medio: estar no centro.  A palavra “contemplação” sugere o mesmo.  A palavra “contemplação” não significa dirigir o olhar para qualquer coisa, Deus ou o que quer que seja.  Contemplação é “estar no templo” com Deus.  O templo é seu próprio coração, as profundezas de seu próprio ser.

Por meio da meditação, deixamos para trás os níveis superficiais de nossa vida e adentramos algo que é mais profundo.  Por meio da meditação, deixamos para trás aquilo que é passageiro e efêmero da vida e entramos naquilo que é eterno.  O objetivo final de toda religião é uma re-ligação e, em essência, trata-se da re-ligação com nosso próprio centro profundo.  O propósito de toda religião é o de que nos re-liguemos a nosso próprio centro. A revelação cristã nos diz que o Espírito de Deus habita em nosso próprio centro, nas profundezas de nosso próprio espírito.  A verdade que descobrimos a partir de nossa própria experiência, caso venhamos a nos dar ao trabalho de trilhar a peregrinação até esse local de santidade, é a de que existe apenas um centro e, de que este centro está em toda parte.

O caminho é o caminho do desaprender.  O caminho é o caminho da expropriação.  O caminho é o caminho da simplicidade. Desaprendemos e nos expropriamos, ao darmos as costas a todas as nossas próprias palavras e pensamentos, ficando apenas com o mantra.  É isto o que nos leva para as profundezas.  Aquilo que todos nós precisamos compreender, é que não se pode apenas praticar um pouco de meditação. Se você quer meditar, então, você precisa colocar a meditação em uma posição central de sua vida.

Medite por Trinta Minutos
Lembre-se: Sente-se. Sente-se imóvel e, com a coluna ereta. Feche levemente os olhos. Sente-se relaxado, mas, atento. Em silêncio, interiormente, comece a repetir uma única palavra. Recomendamos a palavra-oração "Maranatha". Recite-a em quatro silabas de igual duração. Ouça-a à medida que a pronuncia, suavemente mas continuamente. Não pense nem imagine nada, nem de ordem espiritual, nem de qualquer outra ordem. Pensamentos e imagens provavelmente afluirão, mas, deixe-os passar. Simplesmente, continue a voltar sua atenção, com humildade e simplicidade, à fiel repetição de sua palavra, do início ao fim de sua meditação.

 
 
Comunidade Mundial de Meditação Cristã