Dom John Main, OSB - WCCM
"Silêncio e Imobilidade para 10 de Abril"
Leitura de 28/06/2009
The Way of Unknowing (Darton, Longman and Todd, 1989).
Tradução de Roldano Giuntoli
 

Uma das primeiras coisas que descobrimos, quando começamos a meditar, é que estamos assoberbados com distrações, e que não é fácil passarmos além desse nível superficial em que estamos distraídos com planejamento e análise, não é fácil nos aprofundarmos. A descoberta de que, apesar de toda a nossa educação e todos os créditos que acumulamos nas mais variadas áreas de especialização, não conseguimos ficar imóveis por mais do que alguns poucos momentos, e de que nossa mente vagueia, desviando-se pelos caminhos mais ridículos, nos deixa mais humildes, para não dizermos que seja humilhante. A nossa mente prossegue a passo lento, com pensamentos que voam em todos os seus níveis, gerando as mais ridículas fantasias. Não conseguimos estar imóveis. De início, e à medida que faz esta descoberta que o torna humilde, voce logo irá encarar duas tentações. A primeira é a de desistir completamente, dizendo-se: ‘É impossível, não vale a pena, está muito além de mim’.  A segunda tentação é a de dizer: ‘Deixe-me analisar o que está acontecendo’. A primeira tentação é a de se desesperar, ou de fugir do desafio. A segunda é a tentação da obsessão consigo mesmo, de tornar-se exageradamente interessado e dirigido pelos seus próprios processos mentais.

Ora, a arte da meditação é a que lhe ensina a disciplina para continuar, e continuar diariamente, como alguém que esteja comprometido com a profundidade, com a seriedade, com a plenitude da vida. Ou seja, ser alguém que se recusa a viver na superfície, como se esse fosse seu estado normal e necessário de ser.  Gradativamente, a meditação aumentará sua disciplina, e seu comprometimento crescerá proporcionalmente, caso voce adira a ela, como prática diária. A meditação também lhe ensinará a se afastar do si mesmo, a se elevar acima de seus próprios pensamentos, a se desapegar de sua própria auto-consciência, vaidades, temores e desejos. Ela o conduzirá naturalmente a passar além disso tudo, para algo muito maior do que você jamais poderá encontrar em todas as análises ou auto-obsessões que nossa cultura tanto valoriza. Voce iniciou uma jornada através dos arbustos do ego, e o caminho para a travessia é o caminho do mantra.

Medite por Trinta Minutos
Sente-se confortavelmente, mas com a coluna ereta. Feche levemente os olhos. Sente-se relaxado mas atento. Em silêncio, interiormente, comece a repetir uma única palavra. Recomendamos a palavra-oração "Maranatha". Recite-a como quatro silabas de igual duração Ma-ra-na-tha, em ritmo lento. Ouça-a à medida que a pronuncia, suavemente mas continuamente. Não pense nem imagine nada - nem de ordem espiritual nem de qualquer outra ordem. Se pensamentos e imagens afluírem à mente, trate-os como distrações e simplesmente retorne à repetição da palavra.

 
 
Comunidade Mundial de Meditação Cristã